A pandemia COVID-19 tem um impacto significativo na saúde mental e no bem-estar das pessoas, podendo levar a ansiedade e depressão e, eventualmente, a suicídio, assim como à agudização de situações de vulnerabilidade social. De entre os factores que conduzem à fragilização da saúde mental incluem-se o medo, o isolamento, a frustração, a falta de bens essenciais, a informação desadequada, a perda de rendimentos/emprego e o estigma.

No contexto actual, os doentes e os profissionais de saúde estão mais vulneráveis aos potenciais impactos emocionais. Neste sentido, torna-se imperativo avaliar o impacto da pandemia na saúde mental e no bem-estar dos profissionais de saúde e outros na linha da frente, cidadãos em isolamento, quarentena ou distanciamento social.

Pretende-se, assim, contribuir para melhorar as respostas dos serviços de saúde, através da produção de recomendações, em tempo útil, justamente para prevenir ou reduzir o sofrimento psicológico da população em geral e, em particular, dos profissionais de saúde e outros profissionais de primeira linha.

Saúde mental em tempos de pandemia COVID-19 é um estudo desenvolvido pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, em parceria com o Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e a Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, no âmbito do programa RESEARCH4COVID19, da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Participe aqui.