.

 


LANÇAMENTO DO LIVRO “SAÚDE AMBIENTAL – CADERNO DE NOTAS SOLTAS”

Na próxima sexta-feira, dia 25 de Setembro, pelas 17h00, vai ter lugar, no espaço digital, o lançamento do livro “Saúde ambiental – Caderno de notas soltas“, uma edição da Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa em parceria com o Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (ISAMB/FMUL)

Este livro, que será publicado em formato electrónico, é coordenado por Ricardo R. Santos, Osvaldo Santos e António Vaz Carneiro, investigadores do ISAMB/FMUL, e conta com a participação de mais de duas dezenas de professores e investigadores da Universidade de Lisboa que aceitaram o desafio de escreverem um texto, a partir das suas áreas de trabalho, que denunciasse uma ligação, porventura inusitada, talvez insuspeita, com o ambiente e a saúde ambiental. O resultado é um caderno de “notas soltas” e, por isso, necessariamente incompleto, que procura ser, tanto quanto possível, informativo e didáctico, mas que procura também dar a ver o modo como a saúde ambiental agrega um conjunto amplo de disciplinas, e se posiciona como uma área cada vez mais central na promoção da saúde individual e comunitária, mas também do planeta.

A apresentação do livro ficará a cargo de Margarida Gaspar de Matos, professora catedrática da Universidade de Lisboa. Pode descarregar o livro aqui.


ISAMB PARTICIPA EM LIMPEZA COSTEIRA

Integrado no Dia Internacional de Limpeza Costeira, promovido pela Fundação Oceano Azul, o Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa associou-se à Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e à Câmara Municipal de Almada numa iniciativa de limpeza de praia, que decorreu no passado dia 19 de Setembro.

Sob a ameaça da depressão Paulette, que no dia anterior tinha feito estragos nos Açores, a primeira luz da madrugada revelou um dia ameno. Alegrados pela maresia e pela marulhada, os 28 participantes foram-se aproximando, com a segurança imposta pelas actuais circunstâncias pandémicas, do areal da praia da Mata, uma das praias da Costa da Caparica. As bandeiras azuis marcavam o ponto de encontro.

Catarina Gonçalves, coordenadora nacional da ABAE, começa por fazer uma apresentação inicial sobre o tipo de lixo que é mais comum encontrar numa praia. Independentemente da forma ou da sua utilidade, a composição do material é denunciada. O plástico prevalece, em várias escalas, desde os brinquedos de plástico perdidos durante um dia de praia, acumulados até onde a maré é capaz de chegar, passando pelos invólucros das palhinhas e os pauzinhos do chupa, até aos fragmentos de plástico que se reduzem à nanoescala, impossibilitando a sua identificação. Ler mais…


ECOLOGIA & SAÚDE  | WEBINAR

Integrada na iniciativa Ecology Day 2020, o Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa organiza, no próximo dia 17 de Setembro, pelas 17h00, a webinar “Ecologia & Saúde”.

Tendo como oradores o biólogo Ricardo R. Santos e o médico gastrenterologista Rui Tato Marinho, esta webinar começará por olhar o corpo humano enquanto um inusitado e deslumbrante “ecossistema”, feito de mundos ordenados e diversos que se relacionam e comunicam entre si, e cuja existência nasce e depende justamente dessa relação simbiótica, para depois confluir numa escopia sobre a forma como o intestino humano, e sobretudo a microbiota que nele habita, é extremamente importante para a nossa saúde e o nosso bem-estar.


3.º WORKSHOP DE BIOMONITORIZAÇÃO HUMANA EM PORTUGAL JÁ TEM DATA MARCADA

O 3º Workshop de Biomonitorização Humana em Portugal realiza-se a 18 de Novembro, numa edição por videoconferência. Esta 3ª edição pretende reunir especialistas, reguladores e decisores para uma discussão centrada nos contributos da biomonitorização humana para as políticas de saúde e de ambiente, assim como de avaliação do risco para a saúde humana.

Este workshop é organizado pelo National Hub Portugal sobre Biomonitorização Humana (HBM NH-PT), composto pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, a Direção-Geral da Saúde, a Agência Portuguesa do Ambiente, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa e a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, representada pelo Instituto de Saúde Ambiental. Mais informações serão disponibilizadas em breve.


NOVAS ORIENTAÇÕES PERMITEM MELHORAR OS CUIDADOS MÉDICOS PRESTADOS ÀS PESSOAS COM DEMÊNCIA

Em 2019, 20 milhões de pessoas foram diagnosticadas com demência. Esta é a estimativa que a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) apresenta no relatório Health at a Glance 2019, que avalia o estado da Saúde dos 36 países que integram esta organização. Caso se mantenha a tendência de crescimento dos últimos anos, prevê-se que, em 2050, o número duplique, atingindo os 41 milhões.

Com o objectivo de melhorar os cuidados médicos prestados às pessoas com demência, dezasseis especialistas, de 11 países europeus, incluindo Portugal, decidiram elaborar um estudo, publicado recentemente no European Journal of Neurology, que resultasse num conjunto de orientações clínicas baseadas na melhor evidência científica disponível, ainda que, como esclarece Ana Verdelho, uma das autoras do estudo, a evidência científica da eficácia dos tratamentos comuns aplicados a pessoas com demência seja «escassa» e que, justamente por isso, «pode originar uma variabilidade nos tratamentos de alguns problemas clínicos». Ler mais…


COMUNICAÇÃO E LITERACIA EM SAÚDE (PSICOLÓGICA)

No passado dia 16 de Julho, realizou-se mais um programa do Debate à 5.ª, uma iniciativa da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) que tem por objectivo por em debate diferentes perspectivas sobre os múltiplos desafios que estes tempos pandémicos têm revelado.

Dedicado ao tema “Comunicação e Literacia em Saúde (Psicológica)“, neste programa procurou-se debater a importância da comunicação e da literacia em saúde (psicológica), bem como o papel dos psicólogos neste processo. Este debate contou com a participação de dois psicólogos clínicos e da saúde, Ana Rita Goes (Escola Nacional de Saúde Pública, Universidade Nova de Lisboa) e Osvaldo Santos (Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa), tendo como moderador Tiago Pereira, coordenador do Gabinete de Crise COVID-19 da OPP. Veja ou reveja o debate aqui.


SENTIMENTOS, INTENÇÕES E COMPORTAMENTOS RELACIONADOS COM A COVID-19

A COVID-19, com origem na China, rapidamente se espalhou pelo mundo, tendo sido oficialmente declarada pandemia a 11 de Março de 2020. Neste sentido, dada a sua dimensão global, importa avaliar as políticas e as medidas adoptadas, bem como perceber se as estratégias que ainda terão necessariamente de ser desenvolvidas devem ser universais ou então se dependem do contexto social e cultural.

Com este objectivo, está em curso um estudo internacional que procura avaliar os sentimentos, as intenções e os comportamentos associados à actual pandemia por COVID-19. Este estudo é liderado por Christopher Chartier, da Universidade de Ashland (EUA), em parceria com mais de 100 laboratórios de Universidades e Institutos de vários países. Entre os parceiros está Anabela Santos, investigadora do ISAMB/FMUL, que colabora em associação com a equipa do ISCTE-IUL, coordenada por Patrícia Arriaga. Para responder ao inquérito, clique aqui.


CICLO DE WEBINARS: NÃO HÁ LONGE NEM DISTÂNCIA

O ciclo de webinarsNão há longe nem distância“, organizado pelo Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e a Escola Básica n.º 1 do Feijó (Almada), teve como objectivo ajudar pais e encarregados de educação, professores e educadores a entender o que é um vírus, o que é um coronavírus, como ele desafia o nosso organismo, o que a ciência tem feito, o que falta fazer, mas também para reflectir sobre os principais desafios que esta pandemia trouxe para as famílias, as crianças, a Escola, quer ao nível da alimentação quer ao nível dos comportamentos.

A primeira webinar teve como tema “Alimentação em tempos de pandemia“ e ficou a cargo de Telma Nogueira, nutricionista e investigadora no Laboratório de Nutrição da FMUL. Osvaldo Santos, psicólogo clínico e da saúde, coordenador do Laboratório de Comportamentos de Saúde Ambiental do ISAMB/FMUL, na segunda webinar, abordou o tema “À procura de novos hábitos: das intenções a formas de ser e estar“. O ciclo encerrou com uma webinar dedicada ao tema “A pandemia explicada em 4 actos“, conduzida pelo bioquímico Miguel Castanho, professor catedrático da FMUL e investigador principal do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes. Ler mais…


RELAÇÃO ENTRE DESNUTRIÇÃO, FUNCIONALIDADE E DESEMPENHO COGNITIVO EM IDOSOS

Em Portugal, 13,3% dos idosos com 65 ou mais anos, a viver na comunidade e sem compromisso cognitivo, encontram-se em estado de desnutrição ou em risco de desnutrição, com maior prevalência nas mulheres com mais de 85 anos e com menos escolaridade. Por sua vez, 29,4% apresentam limitações nas actividades relacionadas com a sua vida diária, como seja usar o telefone, fazer compras, preparar refeições, lavar roupa, utilizar um meio de transporte, fazer as lides domésticas, gerir adequadamente a toma da medicação ou levantar dinheiro numa caixa multibanco.

Estes resultados inserem-se num estudo levado a cabo por Mónica Fialho, nutricionista e investigadora do Laboratório de Comportamentos de Saúde Ambiental do Instituto de Saúde Ambiental. Tomando por base os dados recolhidos no âmbito do projecto PEN-3S, a investigadora procurou avaliar o efeito moderador da função cognitiva na associação entre estados nutricional e funcional em idosos não institucionalizados, em Portugal, e sem compromisso cognitivo. Ler mais…


ADOLESCENTES PORTUGUESES PRATICAM MENOS ACTIVIDADE FÍSICA E GOSTAM POUCO DA ESCOLA

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que os adolescentes pratiquem diariamente, pelo menos, 60 minutos de actividade física moderada a vigorosa. Porém, segundo o recente estudo Health Behaviour in School-aged Children (HBSC), os adolescentes portugueses são dos menos activos, praticando cada vez menos actividade física, quer moderada quer vigorosa, com particular destaque para os rapazes com 13 anos.

Entre os mais activos estão os jovens que integram famílias com um nível socioeconómico mais elevado. Para a psicóloga Margarida Gaspar de Matos, coordenadora da equipa portuguesa do estudo, “estes jovens têm uma possibilidade maior de se movimentarem, de terem equipamento adequado, de pagar uma mensalidade de um ginásio e, portanto, uma maior probabilidade de adquirirem hábitos de exercício físico”. Ademais, “a actividade física na escola”, acrescenta, “tem tradicionalmente carências de instalações, quer para a prática quer em questões de higiene com, por exemplo, a possibilidade de duche, sendo também frequente os jovens queixarem-se da falta de condições de segurança nos balneários”. Ler mais…


PANDEMIA COVID-19: EFEITOS NOS RITMOS BIOLÓGICOS E NO SONO

O confinamento, o distanciamento social, o trabalho em casa e a escola em casa, impostos pela actual pandemia COVID-19, mudaram drasticamente os nossos comportamentos e nos hábitos diários. Todas estas mudanças têm efeitos nos ritmos biológicos e no sono que precisam de ser conhecidos.

Liderado pela Ariel University, de Israel, e a Ludwig-Maximilians-Universität München, em associação com investigadores de vários países, incluindo Portugal (através da nossa investigadora Cátia Reis), o estudo Crono Corona procura compreender as alterações nas rotinas diárias, de sono e de bem-estar durante o período de confinamento. Os resultados poderão vir a ser úteis no planeamento e na adopção de medidas que possam minimizar os impactos de situações de confinamento social. Participe no estudo. Preencha o questionário aqui.


AEFML & ISAMB JUNTAM-SE NA PROMOÇÃO DA SAÚDE AMBIENTAL

A Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa e o Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa estabeleceram uma parceria para o desenvolvimento de um conjunto de actividades relacionadas com Saúde Ambiental.

Actualmente, estão em curso duas iniciativas, integradas no Prontuário AEFML: a Enciclopédia de Saúde Ambiental, um espaço para a divulgação de informação sobre Saúde Ambiental, e o PODCAST #inhouse4healthstudents, dirigido especialmente para os estudantes que se encontram em contenção social, no sentido de lhes transmitir informação que contribua para melhorar o seu dia-a-dia. Este PODCAST tem estreia marcada para breve.


 KEEPING YOU POSTED